Notícias

Últimas notícias da Sinapro MT

Boletim Salariômetro – CNCS

Com a presente estamos lhe entregando o Boletim SALARIÔMETRO, de março de 2017, distribuído às Federações Fundadoras, entre elas a FENAPRO, pela Confederação Nacional de Comunicação Social – CNCS.

O Boletim logo abaixo foi elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – FIPE, e contém um resumo geral das negociações coletivas de natureza trabalhista realizadas no mês de fevereiro/2017, juntamente com dados atualizados dos meses anteriores, limitados ao período de 12 (doze) meses.

É muito útil a esse SINAPRO conhecer o percentual médio de reajuste que está sendo concedido em sua base territorial; a mediana do ajuste salarial real nos últimos 12 (doze) meses para a atividade econômica publicitária; a mediana do piso salarial em igual período, para a atividade e para o seu Estado.

Estes dados são muito importantes e devem ser levados em consideração, quando da negociação da próxima Convenção ou Acordo Coletivo Salarial, em sua base territorial.

Em sentido amplo, o Boletim anexo evidencia que:

1.  O ajuste real, pela média, foi positivo pelo segundo mês consecutivo. Em fevereiro, foi de 1,6%, o maior desde dezembro/14!

2.  Desde janeiro/15, ocorreu a menor proporção de ajustes abaixo do INPC: apenas 15,2%.

3.  Considerado o acumulado em 12 meses, a proporção de ajustes abaixo da inflação continua a cair, chegando a 41,2%.

4.  O número de acordos para redução salarial diminuiu sensivelmente. Nos últimos quatro meses, foram celebrados apenas 27 (vinte e sete acordos) e destes apenas 02 (dois) utilizaram o PPE/PSE (Programa de Proteção ao Emprego/Programa Seguro Emprego).

5.  A folha salarial de empregados (CLT) continuou estabilizada em dezembro/2016.

6.  A inflação projetada para as próximas datas-base está em queda, o que significa a continuação de reajustes reais positivos.

As notícias contidas no Boletim SALARIÔMETRO são positivas e prenunciam a volta do aumento real de salários, em razão da melhoria da situação econômico financeira brasileira.


Boa leitura.